Postado em 30 de Julho de 2015 às 10h02

CASAN amplia convênio para proteção de matas ciliares na Região Oeste

Notícias (53)
Consórcio Iberê A CASAN renova nesta terça-feira (28) convênio de cooperação técnico-financeira com o Consórcio Iberê para o projeto de proteção e recuperação de...



A CASAN renova nesta terça-feira (28) convênio de cooperação técnico-financeira com o Consórcio Iberê para o projeto de proteção e recuperação de matas ciliares no Oeste de Santa Catarina. A solenidade será realizada às 14h30min, na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), auditório 3, no Bloco R3.

Com valor de R$ 381.600,00 o novo contrato vai permitir o trabalho em outras 70 propriedades rurais. A parceria que iniciou em 2006 já possibilitou a recuperação de 92 hectares de mata ciliar, com a participação de aproximadamente 300 famílias e o envolvimento de mais de 10 mil pessoas.

Em 2012 o projeto foi reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente e integrou o livro “Boas Práticas em Educação Ambiental na Agricultura Familiar”. Um novo reconhecimento virá em novembro deste ano com o Selo Verde e o Prêmio Socioambiental Chico Mendes.

Recomposição das margens dos mananciais

O trabalho é realizado na área de abrangência do Consórcio Iberê, composto por sete municípios inseridos na Bacia Hidrográfica do Rio Chapecó/Irani: São Carlos, Águas de Chapecó, Caxambú do Sul, Planalto Alegre, Guatambú, Chapecó e Cordilheira Alta.

Nessa região predominam pequenas propriedades rurais, em grande parte com uso do solo até as margens dos cursos d`água e acesso livre dos animais. Os produtores são convidados a participar e aderem às ações de forma voluntária. Aqueles que têm interesse participam de discussões para um diagnóstico sobre os impactos em sua propriedade, trocando ideias sobre formas de restauração e preservação da cobertura vegetal às margens dos rios e nascentes.

A partir desse contato é realizado um projeto de restauração para cada propriedade, de acordo com o nível de degradação e suas causas. Depois são iniciadas diferentes ações. Entre elas, a construção de cercas que vão isolar os animais (grande parte dos agricultores trabalha com bovinocultura leiteira) e a produção agrícola da área a ser restaurada às margens dos cursos d´água e nascentes.

Os materiais para as cercas são comprados com recursos do convênio com a CASAN e repassados aos produtores rurais. A regeneração natural da área é favorecida com essas práticas simples, que permitem também o retorno gradativo da fauna.

Aumento da disponibilidade de água, contenção da erosão das margens dos riachos, reaparecimento de fauna local e melhoria do trabalho e dos produtos fabricados nas propriedades são alguns dos benefícios citados por famílias que participam do projeto.

“É um trabalho importantíssimo para os mananciais que garantem o abastecimento de água na região e também para a qualidade de vida das famílias”, destaca o diretor-presidente da CASAN, Valter José Gallina.

São parceiros no projeto sete prefeituras municipais integrantes do Consórcio Iberê, CASAN, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI), Policia Ambiental, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste (Fundeste).

 

Matéria ecrita por: Arley Reis / Gerência de Comunicação Social da CASAN

Veja também

ATIVIDADE DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE FERNANDO MACHADO MUNICÍPIO DE CORDILHEIRA ALTA.27/03/17 No dia 23 de março de 2017, realizou na comunidade Fernando Machado município de Cordilheira Alta uma atividade em comemoração ao dia Mundial da água. No presente momento, aconteceu uma mini palestra sobre o que é o Consórcio Iberê e sobre o projeto Mata Ciliar apresentada pela Assessora administrativa Kellen Cassaro, o público alvo foram crianças......

Voltar para Notícias