Postado em 29 de Novembro de 2017 às 14h31

CASAN renova convênio para proteção de mananciais na Região Oeste

A CASAN assina nesta quinta-feira, dia 30 de novembro, a renovação de convênio com o Consórcio Intermunicipal de Gerenciamento Ambiental Iberê. A solenidade será realizada às 10h30min, no auditório da Agência de Desenvolvimento Regional de Chapecó, localizada na rua Nereu Ramos, 31, segundo andar, Centro. O ato será realizado junto com o Dia de Ação de Governo, no qual o Estado presta contas às comunidades.

A nova cooperação técnica-financeira vai permitir o repasse de R$ 362.600,00 para continuidade do trabalho que desde 2006 vem permitindo a proteção de mananciais e a recuperação da vegetação ao longo de cursos d´água na Região Oeste. Com essa nova parceria, a CASAN chega a um investimento de aproximadamente R$ 2 milhões na recomposição da mata ciliar na Bacia Hidrográfica do Rio Chapecó-Irani.

“A CASAN tem um enorme orgulho de participar do Consórcio Iberê, que protege os mananciais e garante o abastecimento de água e a qualidade de vida de famílias de agricultores da Região Oeste. O novo repasse de recursos vai garantir que esse importante trabalho, cada vez mais premiado e reconhecido, tenha continuidade”, destaca o presidente da CASAN, engenheiro Valter Gallina.

Premiações

Reconhecido no mês de novembro desse ano com o prêmio Fritz Müller, da Fundação de Meio Ambiente (FATMA), o Projeto Iberê já possibilitou a recuperação de 145 hectares de mata ciliar – o que representa a recomposição da vegetação em uma área equivalente a aproximadamente 145 campos de futebol. O trabalho contou com a participação direta de 300 famílias e o envolvimento de aproximadamente 10 mil pessoas.

A premiação da FATMA, o principal troféu ambiental do Estado, reforça a consolidação do trabalho que foi valorizado pelo Ministério do Meio Ambiente em 2012, integrando o livro “Boas Práticas em Educação Ambiental na Agricultura Familiar”. Uma outra premiação foi conquistada nesse mesmo ano, quando a iniciativa recebeu o Prêmio ANA, sendo vencedor na categoria Organismos de Bacia.

Em 2015 o trabalho também recebeu o Selo Verde e o Prêmio Socioambiental Chico Mendes, promovidos pelo Instituto Internacional de Pesquisas e Responsabilidade Socioambiental Chico Mendes (Inpra).

Gerenciamento ambiental participativo

Criado em 2006, o Projeto Iberê de Conservação da Mata Ciliar (uma referência à palavra que em língua indígena significa água limpa) é desenvolvido em sete municípios da Bacia Hidrográfica do Rio Chapecó-Irani: São Carlos, Águas de Chapecó, Caxambu do Sul, Planalto Alegre, Guatambu, Chapecó e Cordilheira Alta.

Nessa região predominam pequenas propriedades rurais, em grande parte com uso do solo até as margens dos cursos d`água e acesso livre dos animais. Os produtores aderem de forma voluntária para desenvolver ações de preservação da cobertura vegetal às margens dos rios e nascentes.

Técnicos que atuam no Projeto Iberê auxiliam na identificação dos problemas ambientais da região, aplicam uma metodologia de gerenciamento ambiental participativa, intermunicipal e integrada, compartilhando as responsabilidades e buscando opções técnicas de baixo custo, fácil replicabilidade e levando em conta a vivência das pessoas do local.

Uma das ações é a construção de cercas que isolam os animais (grande parte dos agricultores trabalha com bovinocultura leiteira) e a produção agrícola da área a ser restaurada. Os materiais para as cercas são comprados com recursos do convênio com a CASAN e repassados aos produtores rurais. Dessa forma, além de permitir que a vegetação seja recuperada ao longo dos cursos d´água, o projeto reduz a erosão do solo, que era comum nas margens desprotegidas nos períodos chuva.

A regeneração natural da área é favorecida com práticas simples, que permitem também o retorno gradativo da fauna. Aumento da disponibilidade de água, contenção da erosão das margens dos riachos, reaparecimento de fauna local e melhoria do trabalho e dos produtos fabricados nas propriedades são outros benefícios citados por famílias que participam do projeto.

“Sem o agricultor proteger a margem do curso d´água com cercas, o local era um descampado, muitas vezes com estrutura para o gado. Agora no terreno há uma floresta”, descreve a técnica do Consórcio Iberê Geciane Pereira Jordani, que realiza o trabalho de campo com as famílias.

São parceiros do Consórcio Iberê, além de prefeituras da Região Oeste e CASAN, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Policia Ambiental, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e Unochapecó.

 

Contenção da erosão das margens dos riachos, aumento da disponibilidade de água, reaparecimento de fauna local e melhoria do trabalho e dos produtos fabricados nas propriedades estão entre os benefícios citados por famílias que participam do projeto. Fotos: Tarla Wolski / Acervo CASAN

 

Gerência de Comunicação Social da CASAN

(48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036

Jornalista Arley Reis DRT/SC 746 | areis@casan.com.br

  • Consórcio Iberê -
  • Consórcio Iberê -
  • Consórcio Iberê -
  • Consórcio Iberê -
  • Consórcio Iberê -
  • Consórcio Iberê -

Veja também

Resíduos Sólidos06/12/18 No dia 04 de dezembro de 2018 o Consórcio iberê juntamente com o departamento de resíduos da Prefeitura Municipal de Chapecó e um catador de material reciclável representante da Associação de catadores AMARLUZ do município de Chapecó estiveram em Cordilheira Alta para dialogar com uma família de catadores município para tratar da......
ODS EM FOCO: PRÁTICAS EMPRESARIAIS18/03/21 Este vídeo foi gravado pelo quadro SUTENTABILIDADE da Bióloga Marina Petzen para o evento ODS EM FOCO que foi realizado em Novembro de 2020.  Teve o objetivo de apresentar práticas sustentáveis relacionadas aos ODS - Objetivos......

Voltar para Notícias